Conheça Carolina Monte Rosa, a Marta Medeiros do longa “Eu Sinto Muito” - Mídia Notícias

Adsense

Últimas

Conheça Carolina Monte Rosa, a Marta Medeiros do longa “Eu Sinto Muito”

 Foto: Cristiano Sergio
Natural de Brasília, atriz encara o denso papel de uma policial da PMDF com transtorno de borderline


A atriz brasiliense deMad Men, como ficou conhecida em 2010 após ganhar um walk-on role na série americana, Carolina Monte Rosa comemora uma das melhores fases da sua carreira. Atualmente ela está no longa “Eu Sinto Muito” (dir. Cristiano Vieira), em cartaz na rede Cinemark pelo Projeta às 7, onde interpreta o denso papel de Marta Medeiros, uma policial da PMDF com transtorno de borderline.
Casada com o artista plástico Cláudio (Wellington Abreu), Marta vive uma rotina de adrenalina no trabalho e descontrole emocional na vida íntima. “Foi um papel em que tive que trabalhar a instabilidade e explosão das emoções. Ela tem um pavio que pega fogo em questão de segundos. Faço uma personagem que apesar de ser uma mulher boa, carinhosa e uma baita profissional, perde a cabeça por motivos aparentemente banais. O jeito com que ela reage quando se sente contrariada é através da agressividade. É a forma como ela se protege de sensações de rejeição, inadequação e abandono. Pode não parecer, mas é ela quem mais sofre com isso”.
 No filme, o cineasta Júlio (Rocco Pitanga) faz um documentário sobre o transtorno borderline e precisa convencer alguns portadores do transtorno a participarem do projeto. Além da policial Marta, também integram o documentário ficcional o músico Guilherme (Victor Abraão) e a enfermeira Isabelle (Juliana Schalch / O Negócio), protagonista do filme. A história se passa na capital, que está lindamente retratada na tela.
Assista o Trailer Oficial:





Curiosamente, esse é o segundo filme de Carolina sobre o tema borderline. “Conheci esse transtorno através do cinema, através da Cibele Amaral, e fiquei muito comovida com a força com que ele abala a forma da pessoa de se relacionar, de se comunicar e existir. É um presente poder fazer filmes que não só entretém, mas trazem importantes discussões pro debate. As questões relativas a transtornos mentais vêm sendo cada vez mais debatidas e acho que esses filmes ficarão como registros relevantes no futuro”
 Também recentemente filmou com Filipe Gontijo e Henrique Siqueira o premiado filme de realidade virtual “Quando Nasce uma Heroína”, filme que tem viajado o mundo em festivais, levando prêmios de melhor filme VR na Argentina e África do Sul. Carolina interpreta Anna Nery, a padroeira da enfermagem no Brasil, numa atuação cativante que tem tocado os enfermeiros nos congressos por onde passa.
Com Bernardo Felinto criou um romance intimista no curta “Me Deixe Não Ser”, um filme singelo de Kleber Macedo, que também tem rodado festivais independentes pelo mundo afora coletando prêmio de melhor roteiro no festival de Los Angeles e Nova Jersey.

Nenhum comentário