Homem decepa órgão genital de parceiros e joga no lixo



Um homem decepou e jogou no lixo os órgãos genitais de dois homens que fizeram programas com ele, em Presidente Venceslau, interior de São Paulo. Uma terceira vítima teve o órgão ferido, mas escapou antes que fosse cortado totalmente. Os ataques aconteceram entre 31 de dezembro e 1º de janeiro deste ano e uma das vítimas ainda está internada. O suspeito foi preso. O esclarecimento dos crimes foi anunciado nesta sexta-feira, 11, em entrevista coletiva, pela Polícia Civil da cidade.
Conforme o delegado Everson Aparecido Contelli, o mutilador escolhia vítimas em estado de vulnerabilidade – pessoas que estavam consumindo bebidas alcoólicas -, e as embriagava até que estivessem sem condições de reação. Em seguida, ele usava uma faca ou tesoura para decepar. Os dois primeiros ataques aconteceram no intervalo de poucas horas, próximo do centro de Presidente Venceslau. As vítimas foram encontradas em estado de choque. Levadas ao hospital, foi constatada a mutilação.

No terceiro ataque, a vítima, um homem de 50 anos reagiu e conseguiu escapar, na madrugada do dia 1º, numa praça da cidade. Ele pediu socorro e o agressor fugiu. Nos três casos, o ataque aconteceu quando o suspeito praticava ato oral nas vítimas. De acordo com o delegado Adalberto Gonini Junior, que também atuou no caso, a investigação chegou ao suspeito depois de ouvir testemunhas e analisar imagens de câmeras, já que as vítimas, por estarem embriagadas na ocasião, não conseguiram fornecer uma boa descrição do agressor.
No depoimento, o mutilador disse que agiu depois de usar crack e não se recorda de como se deram os fatos. Ele contou ter acordado na casa em que morava sozinho, no dia seguinte, e achado os dois órgãos cortados ao lado do colchão. O homem colocou os membros em um saco de lixo e colocou em frente da casa para ser levado pelo caminhão da coleta.
Conforme o delegado, o preso, de 43 anos, cumpria em regime aberto pena pela prática de crimes – ele abusara sexualmente de dois garotos. Conforme a Polícia Civil, testemunhas relataram que o suspeito era pessoa integrada à sociedade e trabalhava como faxineiro, cabeleireiro e cozinheiro. O homem vai responder a inquéritos por lesões corporais de natureza gravíssima.
Com informações do Estadão Conteúdo.
Mídia Notícia. Tecnologia do Blogger.