Ser mãe aos 40 é cada vez mais comum; conheça os riscos e os cuidados que se deve tomar

Por ter foco na carreira ou por não ter encontrado o par ideal, a mulher moderna tem deixado para ser mãe mais tarde. Na década de 70, apenas uma a cada 20 mulheres atendidas no Hospital da Clínicas de São Paulo tem mais de 35 anos. Nesta década, a cada cinco, uma tem essa idade. Muitas vezes, as mulheres esperam até os 40 anos para engravidar.
É o caso de Dori Jatobá, que teve o primeiro filho, Victor, aos 43 anos. “Quando decidi ter um filho, procurei um médico que me chamou de louca e disse que na minha idade era muito difícil, mas não desisti. Encontrei um profissional que me deu força e me disse que eu não seria a primeira e nem a última”, conta ela.
O primeiro médico visitado por Dori não estava totalmente errado. Realmente é mais difícil engravidar depois do 40 anos, mas não é impossível. A mulher nasce com um número finito de óvulos, que naturalmente se esgotam com a idade. A partir dos 35 anos, o número de óvulos sofre uma diminuição acentuada e, por isso, a gravidez se torna menos comum a partir dessa idade. Mas Dori não teve dificuldades. “Deixei de tomar pílula num mês de março e em maio já estava grávida”, lembra.

Riscos
A gravidez na idade avançada está relacionada ao aumento de incidência de diabete gestacional, hipertensão específica da gravidez, abortos espontâneos, prematuridade e problemas no trabalho de parto. E o bebê também corre riscos, que estão associados a alterações cromossômicas. Apesar disso, os avanços tecnológicos da medicina conseguem diminuir esse impacto, tanto nas mães quanto nos fetos com diagnósticos precoces.
Cuidados
Quando uma mulher decide engravidar depois dos 40 anos, ela precisar tomar muitos cuidados com a saúde, porque passa a ter propensão a doenças como diabete, hipertensão e alterações cardiovasculares. É importante fazer um check up de toda essa parte antes de começar a tentar engravidar. O acompanhamento de um médico é fundamental para que tudo dê certo, inclusive durante a gestação. O pré-natal também deve ser mais intenso, tendo em vista todas as complicações que uma gestação nessa idade pode trazer.
Maternidade
“Realmente ter filho com 40 não é a mesma coisa que ter filho com 20. É preciso ter muito pique para correr atrás, porque as crianças têm muita energia”, conta Dori. Mas a maturidade ajuda. Aos 40 anos, a mulher já tem outra visão do que é ser mãe, é mais paciente, mais tranquila e, geralmente, nessa fase já não há tantos problemas financeiros. Além disso, a gravidez aos 40 pode ser mais desejada e curtida do que as demais. “Ter um filho sempre foi um sonho. Victor foi muito desejado”, conta Dori.
Fonte: IBahia
Mídia Notícia. Tecnologia do Blogger.